MOUNTAIN QUEST 2017: a caminho do céu, João Marinho!

Mas que manhã memorável!


Tinha definido como principais objetivos da minha reportagem fotográfica, ter o maior número de fotos possíveis, com qualidade, dos atletas em locais diversos e por isso defini uma "rota", que passava por estar em vários locais das 4 serras (Aboboreira, Matos, Marão e Alvão) para poder ter variedade de imagem e assim conseguir oferecer à organização um trabalho "rico" em "Vida Natural" e BTT, para que esta possa mostrar ao Mundo o que realmente se passou e os locais que foram trilhados. Tinha também como objetivo tirar fotos ao meu amigo Rui Luz, mas a alegria de o ver foi tão grande que não lhe tirei nenhuma hehe, porque sempre que o via paravamos para falar! No entanto, ele fez a prova com o meu lenço amarelo no pulso.

19970913 1541105972650177 2023325473 n

Por outro lado, esta era a minha primeira prova de BTT após 1 ano e 6 meses de luta contra o Cancro (que venci) e por isso as minhas limitações físicas sobrepuseram-se aos objetivos anteriores que defini. Como não posso apanhar sol a apartir das 10 da manhã, decidi que deixaria de fora o Alvão, pois também precisava de me proteger fisicamente e moderar o esforço.

Eram 5h45 da manhã quando eu e mais dois amigos, ambos Ricardos, chegamos ao topo da Serra da Aboboreira. A previsão de passagem dos primeiros atletas apontava para as 6h10 - 6h30 e não nos enganamos. Por detrás dos atletas, estavam umas nuvens verdadeiramente mágicas, que formavam uma camada de algodão branco e que baloiçavam ao sabor do vento. Ia caminhando pelos estradões fora e pensava na sorte que tenho em poder viver.

JG4A1312
Logo aqui senti uma enorme energia positiva, pois não só estavam as condições perfeitas para a prática do BTT, para a fotografia, mas todos os atletas passavam e sorriam, apesar dos kms que já tinham nas pernas e isto aconteceu até ao fim. Nunca vi nada assim!
Da Aboboreira (Baião), seguimos para Castelo de Matos, uma vez que era importante variar os locais e apanhar outros atletas. A paisagem continuava igualmente bela. Era como se estivessemos a ser todos abençoados!

MatosJG4A1613JG4A1608JG4A1737JG4A1552
Saímos de Castelo de Matos e fui para o Marão, a Serra que me acolheu quando estive doente. Já não ia lá há vários meses e por isso estava ansiosa por poder voltar a trilhar aqueles caminhos. Nesta Serra já iam mais de 40 km e um grande acumulado. De Mafómedes ao topo do Marão é de "cortar os pulsos", mas nem isto fez com que cada atleta que passou por mim deixasse de sorrir e dizer-me: "bom dia". 

Na chegada ao topo, uma verdadeira tela pintada de nuvens! Atletas parados a tirar fotos e a contemplar a paisagem! Era bonito demais para seguirem sem o poderem fazer. À medida que se aproximavam da descida da Ferraria, parecia que estavam a ir em direção ao céu! Diria que era o João Marinho que estava nas nuvens a olhar para nós e a orientar os atletas no seu percurso.

JG4A1831JG4A1835JG4A1842JG4A1853
Daqui segui para a Sra. da Serra, o local que mais frequentei quando estive doente e ali terminei o meu "percurso". Já estava demasiado sol e já me sentia cansada. 

Obrigada por me terem feito sair de lá com a alma cheia de boa enegia!

JG4A1866JG4A1994JG4A1953JG4A1895JG4A1912JG4A1930JG4A1860JG4A1863JG4A1922
Em breve disponibilizarei as restantes imagens!
Um grande beijinho,
Susana Luzir

Leave your comments
Comments
  • Guest - José Almeida

    Por aqui já se imagina a qualidade que aí vem. :)
    Nosso amigo comum me falou de ti quando lhe falei da tentativa de me fotografares com o simpático caozinho que me apoiou serra acima.
    Grande beijinho mulher corajosa.

  • Guest - Marco

    infelizmente nao fui apanhado pela tua objectiva mas o teu trabalho esta exelente parabens ;)