O meu cancro - 3. A aceitação da doença

by Susana Luzir

Meus queridos e minhas queridas,

Aceitacao

Depois de vos ter falado de como tudo começou e de como contei aos meus pais, vou falar-vos de algo que é fundamental para que esta luta seja travada de forma mais determinada e menos dolorosa, que é a aceitação de que temos cancro, pois é meio caminho andado para conseguirmos reunir um conjunto de caraterísticas indipensáveis para a "batalha": uma mente preparada e reforçada, força interior, condição física e fé! Não aceitar a doença pode representar muito mais dor e dificultar a cura!

Conforme partilhei convosco nos posts anteriores (podem ver abaixo), foi-me concedida a dádiva de poder lutar pela minha vida, mesmo não sabendo qual o desfecho: vida ou morte. Relembro-vos que me foi diagnosticado um: carcinoma invasor avançado de grau 3 com invasão vascular e linfática, com recetores de estrogénios positivos, progesterona negativos e HER2 positivo. Adenopatia axilar com metastização para carcinoma da mama. 

Desde que me deram esta notícia, ainda por cima a 23 de dezembro, precisei de alguns dias para deitar cá para fora muito do que precisava deitar (chorar), até que levantei a cabeça e disse para mim: "acabou Susana, vamos à luta, pois se queres ser curada tens que passar pelo que for necessário". A primeira coisa que fiz foi reunir forças e ânimo junto da família e amigos e depois continuei a fazer fotografia, as minhas experiências em vídeo, a correr e a fazer exercício físico, etc. E assim, aceitei a doença e o tratamento com um sorriso na cara e muita fé na minha cura.  Uma coincidência curiosa, é que se havia fase da minha vida em que eu poderia ter cancro, seria esta, pois fisicamente estava muito bem, tinha a mente "limpa" e uma vida familiar e social muito saudável.

d1

E porque reagi assim? Acham que não me questionei vezes sem fim "porquê eu?", ou "porque é que eu mereço isto?". Mas, de que me adiantava massacrar-me com perguntas sem respostas se o cancro está dentro de mim? Porra, eu tenho é que o tratar, por isso aceito-o e vou fazer tudo o que me disserem para fazer. Sem dar conta, senti-me, mais de que nunca, com uma força mental enorme, uma disponibilidade imediata para fazer tudo o que fosse necessário e uma maior tranquilidade. Sabem, nunca imaginei ter tanta força interior e esta garra! Para me reforçar ainda mais, comecei a fazer Reiki com duas pessoas muito especiais e que sempre acreditaram na minha cura desde o primeiro momento.

Um dia comecei a fazer posts sobre "o meu momento" no facebook, contando as minhas histórias e comecei a receber um feedback incrível e força vinda de todos os lados, o que me ajuda todos os dias a ser uma pessoa cheia de força e preparada para suportar aquilo que a cura me tem trazido de mau, pois não posso dizer que passar por este processo é fácil e porreiro! De facto não é, mas eu tenho que passar por ele e tenho aprendido muito, mesmo muito!

Maf

Hoje em dia já vou na 5ª quimioterapia (faltam-me 3), os efeitos secundários, no meu caso, "batem-me com muita força", já emagreci 10 Kg, já quase não tenho cabelo, pestanas, tenho mil cuidados com o meu corpo, ando todos os dias de gorro, tenho uma mala cheia de medicamentos, mas e então? Qual é o problema? Se eu me quero curar, tenho que passar por isto e adaptar-me, certo? Não choro nem me revolto! Repito: foi-me concedida a dádiva de poder lutar pela vida, o que muitas vezes e infelizmentem não acontece a muito boa gente! Eu estou na luta para vencer e vou vencer!

HHi

Outra das coisas que a aceitação permite, é estarmos um pouco mais serenos e uma das consequências disto é serenarmos também aquelas pessoas que nos são mais próximas. Não lhes oculto nada, pois também elas aceitaram a minha doença e me ajudam. E para finalizar, dizer-vos que a vossa energia chega até mim e que nunca terei como agradecer-vos por andarem comigo pelo caminho da Luz(ir). Ando sempre com um sorriso na cara!

Lua

Acreditem que sinto que tenho cancro para contar histórias! 
Obrigada por me "lerem".
Susana Luzir

Artigos Recentes

Leave your comments
Comments
  • Guest - APinto

    Aceitar não é sinónimo de resignar e «isto» fará toda a diferença. Eu acredito....

  • Guest - Sílvia Cláudia Pereira

    Aceitar e Lutar... Parabéns Querida, por toda essa tua garra, gosto muito dos teus posts e peço muito para que consigas vencer, eu sei que vais conseguir. Nunca vi tanta determinação. Orgulho me de ti sabes, e nem sabes o quanto. Muita força Luz estou contigo guerreira. beijinhos

  • Guest - Manuel Nogueira

    Adoro a tua coragem e a tua vontade vencer! Aceitar, sim! Acomodar "never"! E temos visto e sabemos que tu não és dessas, muito pelo contrário! Beijinhos e que todas as Nossas Senhoras do mundo te acompanhem.