O meu cancro - 2. Contar aos meus Pais

by Susana Luzir

Meus queridos e minhas queridas,

Depois do meu último post "O meu cancro - 1. O início" , partilho convosco o que se seguiu após a notícia, pois a essa consulta fui só eu e uma amiga. Eu sei que eles me perdoam pelo que vou escrever a seguir, mas só não estiveram porque entre a biópsia e o resultado, eu fiz o que pude para os proteger e despreocupar. Acabei por, perante eles, desvalorizar a situação, o que já não acontece, pois desde então que estão sempre a par de tudo. Estes são os meus pais e chega o momento de lhes dizer!
Lembrem-se que quero mostrar-vos de como comecei mal e de como agora estou muito bem, querendo isto dizer que os primeiros posts serão menos felizes.

pai mae 1132

Acabada de sair da consulta, lembro-me que me encostei à parede em frente e chorei desesperadamente nos braços da minha amiga, pois precisava mesmo de o fazer! Tinha mil coisas na minha cabeça, o meu corpo tremia, tinha que iniciar vários procedimentos (exames) e não sabia por onde começar por estar naquele momento tão "perdida". Lembro-me de dizer em voz alta: "isto não acontece só aos outros"!

Acalmei-me e controlei-me! Ia alternando momentos de calma e de angústia de 10 em 10 minutos e nos de calma pensei de imediato: "que caramba, mas como é que vou contar aos meus pais...", porque a verdade é que nenhum pai/mãe está a contar que um filho passe por certas coisas e por vezes, antes deles, não é? Pensei muito, tinha que lhes dizer a verdade, mas queria minimizar o que quer que fosse, pois ver os pais a sofrer é das piores coisas que um filho pode sentir. Só que ver um filho a sofrer é também das piores coisas que um pai/mãe pode sentir. Lá peguei eu no telemóvel e atendeu a minha mãe:

Mãe: "Olá Susana, como correu?";
Eu: engoli em seco e "tenho aqui uma coizita que tenho que tratar";
Mãe: "Mas tratar como?";
Eu: engoli outra vez em seco hehe e "um nódulozito"; 
Mãe: "Mas é o quê?";
Eu: "É cancro, mãe, mas não precisam de se preocupar";
Mãe: "Tem calma Susana, isso vai-se tratar";
Eu: "Sim, mãe, claro, mas olha, não se preocupem que eu estou bem"!!;
E desliguei, com a certeza de que a voz da minha mãe já estava diferente, mas que estava a fazer exatamente o mesmo que eu, mostrar-se tranquila para não me preocupar, mas o que lhe ia na alma não era tranquilidade.

Passados poucos minutos liga-me o meu pai, que me disse e repetiu emocionado: "Susana, tu está descansada porque faremos tudo o que pudermos para te tratares. Não estejas preocupada! Nós vamos contigo a todo o lado!". Eu respondia: "sim Pai, eu sei, obrigada, não fiquem preocupados". Desligamos e comecei a chorar novamente! Só pensava que tinha acabado de tirar paz e sossego aos dias dos meus Pais.

Sabem, precisei de chorar para deitar cá para fora o que havia para deitar. Chorar não faz mal, pelo contrário, liberta-nos e "limpa-nos interiormente". Neste dia comecei a mentalizar-me, com a ajuda de todos/as com quem partilhei: "eu vou lutar contra esta doença e vou vencê-la"!!!! Foi bem mais fácil contar ao meu irmão, que também está sempre ao meu lado :)

E se isto pudesse ser assim, ainda bem que sou eu quem tem o cancro e não eles. Eu sou jovem e tenho outro corpo para lutar, para além de não suportar a ausência de um deles na minha vida.

Obrigada por me "lerem" e por caminharem ao meu lado!

Susana Luzir :)

Artigos Recentes

Leave your comments
Comments
  • Guest - Norberto

    És grande. Tenho te seguido em silêncio mas sempre desejando um dia daqui a uns tempos reencontrar te é ser fotografado por ti com aquele sorriso por detrás da lente,
    Obrigado

  • Nem imaginas o quanto anseio poder voltar a fazê-lo! Um grande beijinho para ti e até breve! Obrigada pela força :) e boas ondas!

  • Guest - Antero Ferreira

    Grande Susana...sei muito bem o que isso é, pois tenho o André que em 2012 esteve quase do lado de lá, mas conseguiu recuperar. Tudo de bom para si e família. Bjssss...

  • Muito obrigada, Antero. O André é um verdadeiro guerreiro e vocês também! Obrigada por toda a força. Beijinhos

  • Guest - Sílvia Cláudia Pereira

    Incrível... Gosto muito de ler os teus posts é sem dúvida um exemplo, e quando os leio sinto a emoção (lágrima ou sorriso) dentro de mim. Não existe palavras para descrever o amor que temos pelos nossos pais e o amor que eles retribuem é incondicional.
    Não tenho palavras querida. Admiro te muito pela força que tens, pela pessoa que és, nunca percas esse sorriso.
    Muita força, estamos sempre contigo guerreira. beijinhos grandes

  • Muito obrigada pela tua força! Dá-me luz e força ler as tuas palavras! Um grande beijinho!