O meu cancro - 1. O início

Meus queridos e minhas queridas,

Decidi partilhar convosco o início da minha história, pois acredito que com o meu testemunho posso ajudar alguém, seja na prevenção, na força interior, na aceitação da doença, nas "milhentas" dúvidas, etc. Vou dividir tudo em posts separados, porque há tanto, mas tanto para partilhar! Hoje em dia sinto-me muito forte psicológicamente, mas comecei do "chão".
Nâo me vou apresentar, pois nesta minha página podem ver as informações principais sobre mim, mas posso dizer-vos que nunca fumei, não bebo, pratico alimentação saudável e corria todos os dias às 07h da manhã. Esta sou eu, com cabelo :)


SL

A minha história começa em Agosto de 2015! Enquanto dormia, sem querer toquei na minha mama direita e senti uma massa volumosa grande e que me causou muita dor. Sempre fiz exames à mama todos os anos e apalpação diáriamente no banho e com o aparecimento deste corpo estranho, fiquei assustada e procurei um médico que me prescreveu uma eco mamária que fiz quase logo de seguida. Resultado: "provável distrofia mamária, a vigiar clinicamente". Neste seguimento, disseram-me: "Em janeiro ou fevereiro volte para repetirmos o exame, pois essa massa de 2 x 1 cm deve desaparecer em 2 ou 3 ciclos menstruais". Fui embora para casa descansada "da vida"!

Os períodos menstruais e o tempo foram passando e a tal massa ora aumentava ora diminuia. Eu pensava sempre: "em janeiro ou fevereiro vou ver como isto está", pois foram as orientações que me deram. Paralelamante, houve alguém que todos os dias me dizia: "Susana, isso não é normal, vai a um especialista!", mas eu rematava sempre com: "disseram-me para esperar por janeiro/fevereiro, por isso não vale a pena"! E essa pessoa todos os dias me repetia: "isso está pior, vai já!!", até que eu dezembro fui e ainda bem, "vencida pela pressão" e marquei uma consulta numa clínica.
Entre agosto e dezembro havia algo que eu não tinha notado e que me induziu em erro: a tal massa baixou de volume, mas começou a ganhar comprimento. Eu como não me apercebi desta segunda caraterística, achava que estava melhor.

A primeira consulta com o especialista - 16 dezembro de 2015

Lembro-me perfeitamente que era altura do Natal e eu queria depois ir fazer umas compras. Acabei por passar na clínica quase 3/4 horas. De uma simples consulta, todos aqueles segundos seguintes se transformaram em algo que eu não estava à espera. Na consulta com o especialista (e mais 2 médicos que estavam a observar todo o processo), foi-me detetada a mesma massa inflamatória e alterações nos gânglios da axila direita. De imediato fui levada a um especialista em ecografias, que tinha a orientação do médico: "procura bem na mama porque eu não consigo ver nada mais para além da massa, mas tem alterações nos gânglios da axila". Sabem onde está o meu tumor? Por baixo dessa massa que em agosto já existia!

De uma forma muito simpática e sem me demonstrar stress (atitude que aprecio muito num profissional de saúde que está naquela posição", o médico que me fazia a ecografia, disse-me gentilmente: "tem aqui matéria suspeita e não sai daqui sem fazer uma biópsia à mama"! Pensei: "o que se passa??" e pedi para sair e para fazer a biópsia depois dele atender toda a gente, pois eu não ia preparada mentalmente para tanta "agitação" e os únicos 2 testemunhos que tinha de biópsias à mama eram terríveis (no entanto, a mim não doeu). Passado pouco tempo chamam-me: "venha pf fazer uma mamografia, o Sr. Dr. pediu". Pensei de novo: " o quê? o que se passa?" e mais uma vez, os testemunhos que tinha de uma mamografia eram de que doíam muito (a mim não doeu nada)!!! Assustada e sozinha na clínica, pois ia preparada apenas para uma simples consulta, percebi que algo se passava, mas disse para mim mesma: "não saio daqui sem fazer tudo o que é preciso". Este foi o meu primeiro momento de força interior em todo este processo. Peguei no telefone e partilhei o que se estava a passar com uma amiga, que foi de imediato ter comigo, aliás, a mesma que insistiu tanto para eu marcar esta consulta.

Sou então chamada para a biópsia! De pernas a tremer e assustada, deito-me na maca e dizem-me: "vamos afinal fazer 2 biópsias, para ver como está a axila, sim?". Eu disse: "faça tudo o que for necessário, eu confio em si". E assim foi, de uma forma muito calma preparou-me para as biópsias e concluí os exames". Levantei-me e antes de sair, agradeci-lhe!
Volto então novamente para a consulta, onde me dizem: "aconselho a que na próxima quarta feira venha cá saber os resultados". Pelo olhar e discurso frio do médico, percebi que algo não estava bem, mas fui para casa com esperança.

A segunda consulta com o especialista - 23 dezembro de 2015

Sou chamada e abro a porta do gabinete, onde vejo o médico muito sério, que ao me ver dá um passo atrás e baixa o olhar. Acreditem, não precisava ver o resultado das biópsias, pois estes sinais foram suficientes para perceber que eu estava com um problema grave. Desta vez não fui sozinha e ainda bem, pois a forma como me foi comunicado que eu tinha cancro, foi tão dura, tão fria e sem UMA ÚNICA palavra de esperança, que eu não consegui ouvir mais nada. Pensei: "vou morrer"! 
Passados minutos, eu "acordo" e pergunto: "mas eu tenho alguma hipótese de me safar???". O médico principal não me respondeu, mas o que estava ao lado, falou pela primeira vez e disse-me: "calma, no cancro de mama há uma taxa muito elevada de sucesso". Vi finalmente uma luz! O médico principal mantinha-se calado e sempre com a mesma postura fria e perdoem-me, mas pode ser um excelente profissional, mas a nível do "trato com o outro", precisa de aprender muito! Pergunta-me: "onde quer ser tratada?", ao que eu lhe respondi que iria pensar.
Posteriormente prescreveu-me uma série de exames necessários: análises, cintigrafia óssea, ressonância e TAC. Este foi o pior período até hoje vivido, pois os resultados eram fundamentais para saber se isto estava no início ou se já estava espalhado.

A terceira consulta com o especialista:

Chegam finalmente os resultados de todos os exames. Infelizmente todas as biópsias vinham com o título erradas, o que no futuro me atrasou o início do tratamento. A minha massa de 2 x 1 cm, tinha agora 5 cm!! Conclusão do meu cancro: carcinoma invasor de grau 3 com invasão vascular e linfática, com recetores de estrogénios positivos, progesterona negativos e HER2 positivo. Adenopatia axilar com metastização para carcinoma da mama.
Tratamento proposto por ele: 8 ciclos de quimioterapia + mastectomia + esvaziamento axilar + radioterapia + 5 anos hormonoterapia. 
Questiona-me de novo: "então, onde quer ser tratada?", pelo que respondi "no IPO". Resposta: "no IPO? Muito bem, então daqui a 5 anos falamos!". Questionamos: "mas o que quer dizer com isso?", ao que respondeu: "não quero comentar". Fiquei chocada com a atitude e de repente atira-me um envelope pelo ar, para eu guardar os resultados das minhas biópsias. Saí do gabinete e fui-me embora. Pedi ao meu médico de família que me fizesse a carta de recomendação para o IPO pois saí de mãos a abanar da consulta. 
Haveria ainda muito mais a dizer sobre este Sr., mas não merece mais o meu desperdício de tempo, mas o que escrevi acima serve para vos mostrar que comecei mal.

Neste intervalo de tempo consultei uma Oncologista que depois de ler os meus resultados me falou da gravidade da situação, mas ao mesmo tempo brincava e dava-me muita força, esperança, ria-se comigo e falava das coisas de uma forma tão natural, que me deixou com muita tranquilidade. Foi aqui que finalmente comecei a ver as coisas de uma forma mais leve. Aqui está a diferença no trato com os outros! Quem semeia, colhe!

Concluo dizendo: DEVERIA TER OUVIDO MAIS A MINHA AMIGA :)

No próximo post vou falar de como tudo mudou para bem assim que entrei no IPO - Porto. Atualmente estou a ir para o 5º ciclo de quimioterapia e com uma esperança tão grande cá dentro de que vou vencer isto. Assim estou eu:

Cura

Obrigada pela vossa atenção e por caminharem ao meu lado!
Susana Luzir :)

Artigos Recentes

Leave your comments
Comments
  • Guest - Ricardo

    Cada vez mais fico indignado com o negócio da saúde. Susana, agarra-te agora a tudo o que é positivo e a luta será vencida. Um grande beijo.

  • Amigo, muito obrigada! Espero ver-te em breve! Beijinhos!!

  • Guest - joanaalmeida1980

    Estás linda das duas maneiras! Parabéns pela coragem e muita força para o enfrentares de frente, como o estás a fazer! Beijinhos grandes.

  • Guest - Joana Almeida

    Estás linda em qualquer das fotografias!

    Muitos parabéns pela coragem e muita força para dares cabo duma vez desse malvado!

    Muitos beijinhos!

  • Guest - Sílvia Cláudia Pereira

    PARABÉNS GRANDE MULHER.

    Sempre soube que eras uma grande mulher.... Força Susana vais conseguir vencer. Tu és mais forte que tudo.
    Obrigado por nos deixares o teu testemunho. Aprendemos muito. És incrível. beijinhos grandes

  • Obrigada Sílvia, eu vou vencer com a vossa ajuda :). Beijinhos

  • Guest - carochinha ;)

    Mta força minha querida vais vencer tenho a certeza bj enorme de coração

Load More